segunda-feira, 11 de abril de 2016

BAHIA- Chapada Diamantina em 3 dias

Este é um dos lugares mais lindos do mundo, e quem já visitou, sabe como a natureza se revela de uma forma incrível na Chapada Diamantina, mesmo quando um longo incêndio colocou em risco a fauna e a flora da região no final de 2015. Vamos admirar e curtir as belezas da Chapada Diamantina em 3 dias num passeio feito com a agência Chapada Adventure Daniel e aviso logo que não é post patrocinado, nem recebi algum benefício/troca/desconto com isso. Simplesmente o serviço deles é nota mil e fazer os passeios com agência, quando se estar sozinho, é a melhor coisa.


DIA 1- Rio Mucugezinho, Poço do Diabo, Gruta Lapa Doce, Pratinha e Morro do Pai Inácio



Por volta das 8h, a van pegou os turistas em suas respectivas hospedagens. Depois de resolver um equívoco em que trocaram os clientes que fariam o passeio conosco, seguimos para o Rio Mucugezinho. Durante o trajeto o guia simpatissíssimo, Cleiton, nos relatou as dificuldades na época do incêndio e como a agência se mobilizou para ajudar a combater o fogo. Desde a BR-242, que liga praticamente a Bahia de Oeste a Leste e escoa a produção de soja do Oeste, já dava para ver os vestígios de incêndio.

O centro de atendimento ao visitante do Rio Mucugezinho, tem estacionamento pago (acredito que R$5), tem uma lanchonete e um restaurante. Tudo organizado. Fizemos uma pequena caminhada margeando o Rio até o Poço do Diabo.



No Poço do Diabo é possível soltar de tirolesa e fazer rapel. Esportes para pessoas de qualquer sexo e idade. Eu preferir ficar na hidromassagem, um calmante natural sem efeito colateral. Sei nadar um pouco e não confio em nadar em local que não conheço, assim por questões de segurança, sugiro que você use um colete. Você terá uma experiência maravilhosa com a natureza e desfrutará das belezas da Chapada Diamantina. Ah, o colete serve também para quem tem preguiça de nadar, rsrs.

Voltamos para a van e seguimos para a Gruta da Lapa Doce, mas antes, comprei o melhor doce de leite da BahiaDoce d'Afra. Custa R$16.  


Doces a'Afra, Palmeiras, Campos São João. Doce de leite, Chocolate com licuri ou Banana com coco. Cada um custa R$16.
De um atrativo para outro existe uma distância considerável. É justamente o tempo para recuperar a energia e descansar, ou interagir com o pessoal do grupo formado por pessoas de diversas idades e nacionalidades.  A visita a Gruta é controlada e disputada, assim almoçamos e esperamos nossa vez. Um almoço self service muito bom!


Preços 2016 Gruta Lapa Doce
Sempre ouvir falar da Gruta da Lapa Doce, mas nunca coloquei fé. Só imaginava um local escuro, com aquelas coisas pontudas descendo do teto e que seria uma formação geológica bem antiga. Bem, vamos colocar as coisas em seu devido lugar. 

Primeiro, aquelas coisas pontudas se chamam estalactites, quando estão no alto e estalagmites, quando estão no baixo. A união destas, formam uma coluna. Elas são formadas pelo gotejamento da água que penetra na gruta e contém um mineral chamado calcita que em algumas formações dá um brilho incrível! Vejamos:


Segundo, de fato, são formações geológicas bem antigas, o guia falou em milhões de ano. Quanto maior a formação, mais velha ela é. O guia explicou este detalhe da idade e fui pesquisar na internet e encontrei a seguinte informação: "O processo de crescimento destes espeleotemas (formações minerais que ocorrem em cavernas) é demorado e contínuo – varia entre 0,01mm a 3mm por ano e dependem de fatores como quantidade de água, velocidade de gotejamento, pureza do calcário e temperatura." Repito: 0,01mm a 3mm por ano!

Visitar a Gruta é uma experiência maravilhosa pois permite "escutar" o silêncio, "enxergar" a escuridão e ouvir só umas gotinhas d'água caindo. Assim, percebemos como nós seres humanos, somos poluidores sonoros. Falamos, gritamos a ponto de não ouvir, nem sequer,  o som de uma gota d'água e na Gruta é possível testar todos os nossos sentidos em contato com a natureza.

A visita dura entorno de 1 hora. Pra quem tem fobia de escuro e locais subterrâneos é bom não ir. E por incrível que parece a sensação térmica, embaixo da terra, é maravilhosa!

A Gruta Lapa Doce tem 20 quilômetros mapeados, sendo 850 metros abertos à visitação. O maior salão da gruta possui 60 metros de largura e a entrada da Lapa Doce tem 72 metros de altura. A Gruta localiza-se no município de Iraquara, cidade com uma grande concentração de grutas no Brasil. Como disse o guia Cleiton, estamos sobre um verdadeiro queijo suíço.



Da Lapa Doce para a Pratinha e Gruta Azul. Esta, sem muita graça, em minha opinião. Precisa da luz do sol para incidir na água e produzir um efeito azulado em todo espaço, mas havia tanta gente e o sol se escondeu entre nuvens, rsrs, que não vi graça. Já a Gruta da Pratinha e o local de banho são maravilhosos, mesmo no feriado. Na Fazenda Pratinha, onde fica a Gruta da Pratinha, há espaço com restaurante, lojas de artesanato, local para massagens, locação de equipamento de mergulho, lanchonete, espaço para pic nic e banheiros. Assim, passamos pouco tempo e seguimos para o Morro do Pai Inácio.


Foto de 2013, período do Carnaval

Foto de 2013, período do Carnaval
Na primeira vez que subir o Morro, foi com minha família e por conta própria, num feriado do carnaval e no meado da tarde. Naquela época tava assim:



Desta vez, final de tarde, feriado e o clima era este:



Sem dúvida, este é um dos espetáculos mais lindos da Chapada. Ver o sol colorir os morros e embelezar ainda mais os vales da Chapada Diamantina é inesquecível. Enquanto apreciamos a natureza, um homem conta a história do nome do Morro do Pai Inácio. Bem, é uma coisa mais papagaiada e que inevitavelmente ouvimos, rsrs. Para descer, uma fila básica e a noite já deu as caras. Se você tiver a oportunidade de ir num dia tranquilo, sem muvuca, logicamente apreciará mais.

Terminada a jornada, muídos e cansados, voltamos pra dormir nas respectivas hospedagens, não é? Nada disso! A empolgação é tamanha que vamos procurar um lugarzinho bacana para jantar e descansar. E já tinha visto na internet o Café do Mato que simplesmente é muito bom! Ao lado tem o Sabor da Serra que tem um atendimento excelente. Assim, nos 3 dias que passei em Lençóis, não variei, nem experimentei outros locais. Estes dois restaurantes, atenderam minhas expectativas, pelo preço, sabor, localização e ambiente. Contarei em outro post como foi a experiência.


Café do Mato
DIA 2- Cachoeira da Fumaça, Cachoeira do Riachinho

Opa! Vamos lá?! Mais um dia de atividades que começa com um delicioso café da manhã no Hostel Chapada. Aguardo na recepção, e o pessoal da Chapada Adventure Daniel vem me pegar. Saímos de Lençóis, rumo ao Vale do Capão. O famoso Capão... é um trajeto de quase 2h. Dá pra bater papo, ouvir música, dormir, aliás, dormir não, é um sacolejo infeliz por causa das estradas de terra, que me fazem ver e entender que é melhor pagar o passeio com agência do que colocar um veículo em estradas tão ruins. E olha que o tempo tava bom e não chovia... Mas a galera se joga de carro e lá vi de tudo: 500C da Fiat, 4x4, carro de passeio, o povo gosta de aventura mesmo.


Vale do Capão
O Vale do Capão é um dos lugares mais excêntricos da Chapada. Dizem, que é o ponto holístico, místico e dos adeptos do "paz e amor". Muitos estrangeiros migraram para lá e estabeleceram um outro ritmo de vida. O Vale do Capão é o início ou fim de uma das mais lindas caminhadas do mundo: a trilha do Vale do Paty, que só perde para o Caminho de Compostela e a Trilha Inca para Machu Pichu, dizem as revistas especializadas. Se Deus permitir, farei a Trilha do Vale do Paty no final do ano. Serão 5 dias de caminhada e dormindo em casa de nativos. Ihuu!

Bom, descemos da van e registramos nossa entrada no Parque na Associação de Condutores de Visitantes do Vale do Capão. Não se cobra taxa para visitação, mas há uma caixa para donativos, e nada mais justo do que a gente colaborar. O início da trilha é engraçado, para não dizer, sofrível, pois é um pouco mais de 1km de subida braba, mas depois a coisa melhora e a empolgação recomeça. Para mim, fazer a trilha foi algo especial, pois percebi como a natureza se regenera e luta para sobreviver após um terrível incêndio, que me fez ver como nós seres humanos, somos destrutivos.

Vamos subindo e admirando a vista. Em meio a plantas queimadas, encontramos flores belas e uma planta muito interessante: o candombá, que floresceu depois de 17 anos e é uma planta típica da Chapada Diamantina. Ela floresce com o fogo e este fenômeno é raro. O fotógrafo baiano Rui Rezende esteve na região e comentou:"As árvores queimam completamente. Fica o toco preto, e qualquer pessoa que olhe vai ter certeza absoluta que aquela planta está morta. É uma cena fantástica. É coisa da natureza. O homem vem com o fogo, e a natureza vem com flores"


Entre o fogo, brota a vida
Depois de quase 2 horas de caminhada, chegamos no mirante da Cachoeira da Fumaça. Descansamos um pouco e aguardamos o momento para tirar fotos. Ah, para esta trilha são dois guias: o Luiz Paulo e o Cleiton. Eles te seguram para que possamos tirar as fotos emblemáticas. Gente, eu fiquei morrendo de medo. É muito alto! É a terceira maior queda d'água do Brasil. A trilha é fácil e demarcada, muitas pessoas vão sozinhas. E algo que me deixou consternada, vimos uma família com um bêbê de colo... um absurdo!

Cadê a Cachoeira?!
Hora de voltar, e pra descer, todo santo ajuda. A caminhada é num ritmo mais rápido e tranquilo. E minha vontade de chegar logo na associação era muita, sabe por quê? Ah... por causa disso aqui ó:

Pastel de Palmito de Jaca por R$4

Eu não sei se era o fato de eu estar com muita fome, mas que o pastel é gostoso, é sim... e pra completar, coloquei mel com pimenta, acompanhado de um caldo de cana. Oh delícia!

Claro que não pode faltar um banho de cachoeira a cada dia do passeio, assim fomos para a Cachoeira do Riachinho que possui pedras com uma coloração bem alaranjada. O local estava cheio, mas havia espaço embaixo da queda d'água que por sinal estava na medida certa. Uma delícia! Melhor seria, poder ver o pôr do sol desde a cachoeira, mas a noite estava às portas e nos esperava umas 2 horas de estrada. Batemos em retirada.


Cachoeira do Riachinho, paga-se R$6 a entrada
Cheguei em Lençóis e cair na cama, certo? Errado! Fui bater perna pela cidade e comer algo bem gostoso. Desta vez, fui ao Restaurante Sabor da Serra que fica ao lado do Café do Mato. Excelente!



DIA 3- Poço Azul e Poço Encantado

Este dia foi top! Tudo bem que andamos de van mais do que outra coisa, mas realmente o Poço Azul, que fica no município de Nova Redenção é bem distante do Poço Encantado, que fica no município de Itaetê.

Tudo bem que o melhor horário e a melhor época para visitar estes dois atrativos não foi a ideal, mas a beleza que encontramos só constatou que a Chapada Diamantina é linda o ano todo.

Chegamos ao Poço Azul quase 11h, levamos quase 2 horas esperando chegar nossa vez. Pois é, o Poço Azul tem entrada controlada e é visita disputadíssima em feriados e alta temporada. No Centro de Visitantes do Poço Azul, tem restaurante e lanchonete. Aproveitei para comer um pastel (R$6), saboroso e enorme de grande, acompanhado de um caldo de cana (R$4).

E chegou a nossa vez. Todo mundo arrumadinho. De colete, máscara e snorkel (se quiser), mas nem precisa de tão transparente que a água é... Tomamos uma ducha antes de entrarmos no poço.

Poço Azul, as 12:47
E por que o Poço é azul? 

O biólogo Roy Funch, um dos fundadores do Parque Nacional da Chapada Diamantina,explica: “A luz visível que vem do sol é composta por todas as cores e, ao encontrar com a atmosfera, ela passa direto, enquanto a luz azul bate nas moléculas de nitrogênio e oxigênio e é refletida em todas as direções”.

Informações importantes:
Melhor época para ver o raio: de 08 de fevereiro a 20 de outubro
Melhor horário para ver o raio: 12h30 às 14h
Tempo de permanência no atrativo:
baixa temporada – até 40 min.
alta temporada – até 20 min.
Taxa de visitação: R$ 15,00 por pessoa
Localização: Município de Nova Redenção
Distâncias de carro saindo de: Andaraí 46 km, Mucugê 64 km, Lençóis 86 km.

Depois desta experiência maravilhosa, vamos para o Poço Encantado. Atravessamos a pé, o leito assoreado do Rio Paraguaçu, que nasce na Chapada Diamantina e desemboca na Baía de Todos os Santos, passando pelas cidades de Cachoeira e São Félix. Seguimos na van num trajeto de 1:30, por estradas de terra e bem ruins, mas que são utilizadas pela população em geral e visitantes.

Chegamos ao Centro de Visitantes do Poço Encantado e a fome era muita, no entanto, resolvemos descer e conhecer o Poço e depois almoçar. Descemos uma escadaria com mais de 200 degraus, com lanterna na cabeça e passando por entre pedras chegamos ao salão que nos permite visualizar mais uma das belezas da Chapada. O guia nos dá uma breve explicação das dimensões do Poço e como foi descoberto. E a reação não poderia ser outra: ficamos encantados!

Poço Encantado, as 15:14h

Informações importantes:
Melhor época para ver o raio: 01 de abril a 10 de setembro
Melhor horário para ver o raio: das 10h às 13h30
Tempo de permanência no atrativo:
máx. 15 min. na baixa e alta temporada
Taxa de visitação: R$ 20,00 por pessoa
Localização: Município de Itaetê
Distâncias de carro saindo de: Andaraí 45 km, Mucugê 47 km, Lençóis 141 km.

Na volta, quase desfalecendo de fome, nos serviram um delicioso almoço com carne de bode, picanha, frango, salada, arrroz, feijão, palma, aimpim frito e de sobremesa um delicioso sorvete caseiro de licuri


Este foi o último dia na Chapada, a noite (23:30h) voltei de ônibus para Salvador. Depois dos passeios, deu tempo de ir, de novo, ao Café do Mato, dá um rolé por Lençóis, terminar de arrumar a mochila e esperar o transfer da agência para a Rodoviária.

POR QUE ESCOLHI A AGÊNCIA CHAPADA ADVENTURE DANIEL?

Pela praticidade na hora da compra que é feita on line e ainda parcelada. A informação completa acerca dos passeios disponíveis no site são confiáveis e eles cumpriram exatamente o que estava escrito. Observei também os comentários de outros viajantes no TripAdvisor e todos recomendaram muito bem a agência. E comparando os valores, a Chapada Adventure saiu mais em conta. Eles oferecem o transfer da rodoviária até a hospedagem gratuitamente e do aeroporto até a hospedagem, por 25 reais.

Contratei a Agência Chapada Adventure Daniel, ainda em Salvador e pela internet. Porém, ao finalizar a compra percebi que comprei para a data errada. Em seguida, liguei e pedi pra trocar. A Flávia foi muita atenciosa, retornou a ligação, fez a troca e resolveu tudo. Todos os dias eles me pegaram no Hostel Chapada.

Já estive na Chapada de carro com minha família e foi excelente. Mas quando estamos sozinhos, vale muito mais a pena, fazer passeios com as agências. Não tive preocupação nenhuma. Apenas acordava, tomava o café do Hostel e esperava o pessoal vir me buscar. Até se você  estiver em grupo e optar por fazer os passeios por conta própria de carro, vale colocar na balança que a maioria das estradas são de terra, muita poeira, muita pedra, e a depender da época pode chover muito e a estrada ficar intransitável para carro de passeio.

Deixar para comprar os passeios no dia em época de feriado é arriscado, pode não ter vagas. E comprar passeios separados, fora do pacote sai bem mais caro. Basta fazer as contas.



POR QUE ESCOLHI O PACOTE DE 3 DIAS?

Em virtude do feriado da Semana Santa (sexta, sábado e domingo). O que mais desejava ver era a Cachoeira da Fumaça. Uma pena que não havia água, mas a paisagem não deixou de ser deslumbrante. Por isso, escolhi o pacote de 3 dias que inclui a Cachoeira da Fumaça, se você tiver mais sorte do que eu, verá uma das maiores quedas d'água do mundo.

Mas talvez você diga: "Ah, mas porque você não pesquisou antes se a cachoeira tinha água?". Para ser sincera, independente de ter água ou não a vista é impressionante. A Chapada sofreu um terrível incêndio no final de 2015. A trilha até a Cachoeira da Fumaça nos permitiu ver o quanto o homem tem degradado a nossa casa e como a natureza luta para sobreviver. E as agências só mudam o pacote se realmente for impossível fazer o roteiro, o que não se aplicava naquele momento.


Rua da Baderna

E O PACOTE DE TRÊS DIAS DÁ PARA  CURTIR A CHAPADA NUM FERIADO?

Dá sim! Mas faço uma ressalva, se prepare para encontrar atrações cheias, como ver o pôr do sol no Morro do Pai Inácio, Pratinha e trilha da Cachoeira da Fumaça. Como todo pacote agência, tudo é cronometrado, mas dá sim para curtir. Ah, e o pacote desta agência contempla almoço, lanches e as entradas nos atrativos, assim a única preocupação é aproveitar o passeio.

Uma dica: se você quiser, pode sair de Salvador de ônibus no horário de 23h e chegar em Lençóis por volta das 5h da manhã. Daí, vá para a pousada, descanse e depois faça os passeios a partir das 8h da manhã. Na volta, pegue o ônibus de 23:30 e chegará em Salvador no outro dia pela manhã. Ou seja, dá para visitar a Chapada num final de semana com tranquilidade!

É bom saber:
- para sacar dinheiro só tem a agência do Banco do Brasil em Lençóis;
- nem todo estabelecimento aceita cartão de crédito ou débito e quando aceita, na maioria das situações, a máquina não pega por causa do sinal de telefone;
- não se engane, as atrações são distantes uma da outra, o que parece fácil, precisa de guia, e as estradas, infelizmente, não estão em bom estado;
- cuide de sua saúde, cuide de sua segurança, não se arrisque. Casos de pessoas que se feriram gravemente na Chapada, é recorrente e o socorro não é imediato devido a dificuldade de acesso. Torção, cortes, desmaios, acontecem, por isso, cuide da sua vida e obedeça ao guia;
- beba água e se alimente corretamente;

Para conferir um monte foto bacana, clique aqui.

Se você ficou empolgado em conhecer a Chapada, seu planejamento começa aqui: Guia da Chapada.

Você pode enriquecer este post, deixe seu comentário, dúvida ou sugestão abaixo.

Siga o Vaneza com Z em:

Pinterest
Facebook
Google+
You Tub

O blog Vaneza com Z  não possui parceria/ convênio com as empresas/ serviços citados no texto.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...