terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Ushuaia: Parque Nacional Tierra del Fuego

Percorrer o Parque Nacional Tierra del Fuego em seis horas não é fácil não, mas é muito gratificante chegar ao final da trilha e admirar a natureza que nos cerca. São montanhas, lagos, árvores, rios e o frescor de ar puro. Mas não se preocupe com destino, desfrute do trajeto e é isso que vou te propor neste post. Venha conosco!


O Parque possui quase 69 mil hectares e podemos fazer 4 trilhas e escolhemos a senda costanera que margeia a Baía Lapataia e termina na famosa placa do fim da Ruta 3. Essa é uma trilha de 8 km em que posso afirmar que você não precisa nem de guia nem de passeio comprado para fazer. A não ser que, esteja sem tempo livre ou queira conhecer profundamente a flora e fauna do Parque. É fácil encontrar transporte para o parque. Eles saem diariamente, a partir das 9h da avenida Maipú próximo do posto de gasolina.


Na van, conheci uma brasileira simpática e amigável, a Silvana, de São Paulo. Ela foi minha companheira de trilha por seis horas, muito agradável. Assim, você pode fazer este passeio sozinho e encontrar uma companhia também.

Na entrada do Parque pagamos 100 pesos e carimbamos nosso passaporte. Uma italiana ficou extremamente chateada pois havia esquecido o dela...rsrs.

O primeiro ponto de parada é no píer onde tem o Correio do Fim do Mundo. Lá você pode comprar um postal e enviar para quem você gosta e foi daqui que começamos a trilha. A princípio ficamos meio perdidas, mas tudo está demarcado e extremamente sinalizado e o número de pessoas trilhando é grande, por tanto difícil será se perder...

Começamos a trilha daqui, do lado esquerdo a Isla Redonda

Correo del Fin del Mundo
Recebi o mapa lá no ponto das vans e a motorista sinalizou tudo e explicou o percurso. Fizemos a senda costanera e gastamos quase 6h. Ao longo do caminho encontramos vários grupos de jovens e idosos fazendo a trilha. Parecem que são pesquisadores, biólogos ou geógrafos. Mas a maioria são como nós que estamos ali para apreciar a natureza e sentir o ar fresco. Encontramos várias plantas da região e frutas também. As aves nos fizeram companhia e as praias da Baía Lapataia testemunhavam nossa passagem. Interessante como tudo estava limpo, não vi um lixo sequer.
Mapa das trilhas. Em vermelho, o trajeto que eu fiz.




Você terá que passar por baixo de árvores...

Trilha demarcada e sinalizada

Pão de índio

Mata Negra Fashine
Depois de uma larga caminhada paramos no centro de visitante Alakush e é uma passagem quase obrigatória. Fui ao banheiro e comprei uma garrafa d'àgua de 500ml (24 pesos!), uma garrafa de 2 litros no mercado custou 8 pesos... O centro tem acesso wi fi, mas é fraco, seguimos nosso trajeto. Logo em frente vemos o Lago Roca que possui trilha própria, mas na qual não tivemos interesse. Atravessamos a ponte sobre o Rio Lapataia e chegamos no mirante da Laguna Verde e mais adiante na Laguna Negra que é na verdade um turbal.

Lago Roca e Cerro Guanaco

Ponte sobre Rio Lapataia

Laguna Verde

Laguna Negra- Turbal

Você ouvirá várias vezes esta palavra: turbal. É um tipo de depressão formada há milhares de anos pelos glaciares e que acumulou água e possuem plantas em decomposição.

E estamos mais perto do nosso destino, seguimos para o mirador da Baía Lapataia deixando de lado a castoreira, pois o tempo era reduzido e sabíamos que não apareceria nenhum castor. Descemos um pouco mais e enfim chegamos ao final da Ruta 3. Atravessamos a famosa placa e admiramos a Baía de Lapataia desde o Puerto Arias. Aqui encontrei a família que aparece nesta filmagem da travessia do Estreito de Magalhães e o pai me gritou: "Bahia, Bahia!". Foi uma surpresa e tanto!

A linda Baía Lapataia



Estávamos cansadas pois fizemos a trilha de olho no relógio para não perder a van que passaria ás 16h no Puerto Arias. Aguardamos um pouco e a van chegou. Quando chegamos em Ushuaia fomos comer pois a barriga roncava e sobre comer em Ushuaia escreverei no próximo post.

Agradeço a companhia da Silvana que é um doce de pessoa e espero nos vermos em breve na estrada da vida.



Dicas:
  • acorde cedo para fazer a trilha, vale a pena e você conseguirá fazer o circuito completo;
  • leve lanche, água e frutas. Deixar para comprar no Alakush é bem caro;
  • utilize calçados e roupa apropriados para caminhada e, mesmo no verão faz frio;
  • verifique o horário de volta da van do final da trilha para você não ficar no Parque;
  • no Parque há local para camping, se você tiver interesse entre em contato com a administração para mais informações através do email: informes@apn.gov.ar.
Confira outros passeios aqui:
Passeio Canal Beagle
Trilha Laguna Esmeralda
Pinguinera e Estância Harberton
Glaciar Martial
Museu do Fim do Mundo
Comer em Ushuaia por menos de 100 pesos, é possível?


Siga o Vaneza com Z em:
Pinterest
Facebook
Google+
You Tube

O Blog Vaneza com Z não possui parceria com nenhuma das empresas ou serviços citados no texto sendo uma escolha pessoal a escrita do post.

6 comentários :

  1. olha isso!beleza,ne?obrg pelas fotos Vaneza....beijoss da Argentina boludo ;3

    ResponderExcluir
  2. Nossa! De todos os posts que eu li, o teu foi o mais completo e o que melhor informou! Primeiramente, muito obrigada!! E nossa, que sonho esse lugar! Viverei ele ano que vem! Amei seus posts!! Felicidades Vaneza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Larissa!

      realmente um sonho que recomendo qualquer um a realizar. é um contato maravilhoso com a natureza.

      Agradeço de coração!

      Excluir
  3. Boa tarde, Vaneza. Em primeiro lugar, gostaria de agradecer por disponibilizar um relato com tantas informações. Está sendo um pouco difícil organizar essa viagem para Ushuaia. Em segundo lugar, gostaria de te perguntar se há algum site onde posso conferir as paradas e os horários desse transporte que leva ao Parque. Muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andrea!

      Ushuaia é pequena e simples de se conhecer, a pé se conhece todo o centro em algumas horas. Parece complicado, mas não é. Fique tranquila.
      Busquei na internet se tem o trajeto ou site destas vans, mas não encontrei. Porém o pto de saída é fácil de achar e talvez será bem perto da sua hospedagem.

      Desejo uma excelente viagem para você. Qualquer coisa, é só chamar!
      Abraços e obrigada pela visita ao blog.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...